Home Análise Estatística Roger Machado não entendeu que a solução é Fred

Roger Machado não entendeu que a solução é Fred

471
2
Fred em jejum de gols
Fred em jejum de gols no Atlético Mineiro

Uma das equipes apontadas como favoritas ao título, o Atlético Mineiro ainda não conseguiu vencer no campeonato, acumulando apenas dois pontos em nove disputados. Após o empate com a Ponte Preta no último domingo, o técnico Roger Machado usou números para responsabilizar o que ele chama de processo defensivo por mais um tropeço. No entanto, os números também mostram que a equipe não vem criando as chances que o artilheiro Fred estava acostumado a ter.

OS NÚMEROS AJUDAM A QUEM SABE INTERPRETÁ-LOS

Contrariado por ter deixado a vitória escapar após sair na frente do placar, na entrevista pós-jogo o treinador fez uma baita confusão ao usar números para defender seu argumento. É melhor assistir o pequeno trecho da coletiva para que não fique nada fora de contexto.

Em primeiro lugar, independente do número de ações defensivas, não é verdade que o Atlético ganhou 24 das 28 partidas na temporada. A campanha é de 6 derrotas, 6 empates e 16 vitórias.

Depois ele cometeu o clássico erro de confundir correlação com causalidade. Na falta de dados das 28 partidas, vamos assumir que a comissão técnica está correta em afirmar que exista uma correlação negativa entre ações defensivas e número de gols sofridos. É isso que Roger Machado quer dizer quando fala que “na partida contra o Paraná realizamos o menor número de ações defensivas (47) e levamos mais gols (3)”. A pergunta é: essa foi a causa dos gols sofridos? Não fosse a falha do goleiro Victor no gol de falta de Guilherme Biteco o treinador ainda poderia usar essa estatística?

Além disso ele está tirando conclusões precipitadas em um número muito pequeno de observações. Para validar a correlação anterior, seria necessário levantar e analisar o número de ações defensivas e gols sofridos não só do Atlético, mas de vários outros times para testar e validar a hipótese. Pior ainda: o conjunto de dados dele está enviesado por um nível de competitividade muito baixo. O desempenho no Campeonato Mineiro, enfrentando equipes como Democrata, Tupi e Uberlândia não são muito úteis para comparar com Flamengo, Fluminense e Ponte Preta.

MELHOR POSICIONAMENTO DA DEFESA = MAIS INTERCEPTAÇÕES

O Campeonato Brasileiro está muito no início, ainda não é hora de trazer muitos dados comparativos, mas só para ir acompanhando, em termos de ações defensivas (roubadas de bola + interceptações) o Galo está à frente do Corinthians, que só sofreu um gol e é uma equipe reconhecidamente boa na defesa. Acontece que o Corinthians enfrentou Chapecoense, Vitória e Atlético Goianiense, equipes que dificilmente vão partir pra cima, situação completamente diferente dos adversários enfrentados pelo Atlético Mineiro até agora. São adversários com postura e qualidades distintas que ajudam a entender a estatística. Os números devem ser analisados no contexto em que ocorrem.

Roger Machado e seus analistas de desempenho estão reduzindo os dados a uma simples métrica: se efetuarmos 60 roubadas de bola mais interceptações, venceremos partidas. Para aumentar a interceptação, por exemplo, é preciso corrigir posicionamento nos treinamentos.

TOCA NO FRED QUE É GOL

Afim de ajudar Roger Machado a enxergar além das ações defensivas, analisamos o desempenho de Fred, que ainda não balançou a rede.

Fred precisa de pouco para marcar gols. Finalizando não mais que 3 vezes a cada 90 minutos, ele foi artilheiro isolado em 2014 e dividiu com Diego Souza e William Pottker no ano passado. Acontece que nas três partidas desse ano, Fred ainda não recebeu em condições de finalizar na pequena área e está precisando sair da área para finalizar, o que diminui drasticamente as chances de conversão em gol.

Desde 2013 Fred finaliza entre 2 e 3 vezes a cada 90 minutos no Brasileirão
Finalizações de Fred
FONTE: WhoScored | Shot zones per 90′

O Atlético Mineiro é o time que mais cruzou bola na área até agora no campeonato, contra o Fluminense foram 43 cruzamentos, contra a Ponte 37 – incluso escanteios e faltas com bolas levantadas na área. Esse foi um aspecto abordado na entrevista de Roger Machado e minimizado pelo mesmo. Não deveria, porque o índice de acerto do Galo é abaixo da média para o campeonato. Ou seja, é um fundamento que o time precisa melhorar através de treinamento. Bons cruzamentos para o maior goleador do futebol brasileiro é uma combinação que pode resultar em gols importantes.

Média de acertos em cruzamentos no Campeonato Brasileiro
FONTE: WhoScored

De onde partiram os 22 cruzamentos de Cazares contra o Flu

cazares_crosses
Localização da origem das 22 bolas levantadas por Cazares contra o Fluminense, quando apenas 5 encontraram algum jogador do Atlético (FONTE: WhoScored)

2 COMMENTS

  1. Cara, o jogo contra o FLU me matou de raiva os cruzamento e alçadas de bola na área em vão! Roger Machado colocou He-man e Fred juntos enfraquecendo o meio, deixando meias de marcação e obrigando a alçarem bola pra eles! Concordo demais que nesse fundamento o galo está precisando treinar mais! E os números do Fred não mentem!

    Excelente post Felipe! Abordou realmente o gafe do Roger e como a numerologia poderia ajudar se Roger prestasse mais atenção nela!

    Uma dica: Tente adicionar um campo newsletter pra gente receber no e-mail as novas postagens, pois o blog está com informação de qualidade!

    • Obrigado pela dica, Jaider. Vou adicionar esse campo em breve.
      Espero que o Roger, um treinador jovem, aprenda a utilizar melhor os números a seu favor. Ele é um técnico promissor.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here